Textos

A MOÇADA DA PERCEPÇÃO BLUE (REVELA AÇÕES) — IV —
A MOÇADA DA PERCEPÇÃO BLUE
(REVELA AÇÕES) — IV —

OUTRO DIA INICIOU, MAS faria diferença se estivesse a terminar??? Os animais povoam a Terra com tenacidade de quem deseja apenas permanecer a viver. Seus esforços estão concentrados em fazer acontecer uma guerra de inacreditável antiguidade. Batalhas que vêm de longe, muito longe. De um infinito de outras dimensões, de multiversos esses sem que nunca sejam minimamente identificados.

ESSES GUERREIROS CÓSMICOS sob a forma de espíritos jamais sairão vencedores uns dos outros. As criaturas existem no mundo para se oprimi. Tal igual aos opostos que nunca hão de parar de existir: dia/noite, sol/chuva, duro/macio, frente/verso, branco/preto, doce/salgado, alto/baixo... A guerra eterna é um caminho sem piedade. Um engenho criado por uma autoridade que não conversa com esses opostos porque sabe que foram criados para ser definitivos.

OS HOMENS SE ABATERÃO mutuamente. São engenhos que nunca param de se hostilizar. Autoridades corruptíveis cuja virtude é o próximo passo aleatório em direção ao fim sem outra finalidade que não seja a de continuar a confirmar a mortalidade corrompida por esperanças que nunca hão de se realizar, exceto aparentemente. O corpo do homem é adversário de si mesmo. Os ouros corpos, de outros homens poderiam não ser adversários entre si???

O SENHORIO DOS EXÉRCITOS infinitos de espíritos não é apenas um. São muitos. Por mais guerras que façam entre si, nunca haverá um vencedor definitivo. A vitória é sempre um tempo etéreo que passa e se prepara para novas batalhas, vitórias, derrotas e continuidade sem fim de opressões que se renovam. Os que nascem oprimidos raramente conseguem reunir forças para vencer os muros que separam os que têm e os que não têm direitos. Uns lutam pelo direito de melhor oprimir os opositores que têm mais vantagens.

EDINAH SABIA-SE DOMINADA pela violência dos opostos à sua sexualidade. Não haveria como fugir da condição de mulher que possui o tronco aberto na extremidade sul do torso. Enquanto eles, homens, possuem o instrumento de dominação externo de onde se projeta para cima quando sob excitação erótica. Dessa diferença derivam todas as agressões. O fruto da árvore está no meio do jardim: bem/mal/bem se alternam.

A SERPENTE, SER SUPERIOR EM ardis e sabedoria estelar, proveniente de um multiverso ainda ignorado pelo recém criado casal híbrido de primatas anteriores, trazidos pelos comandos de um exército sideral, dividido pela hierarquia em luta por mais poder... Que poderia esse casal, relativamente ingênuo, fazer, senão ser usado pela poderosa secreção da Serpente??? Réptil criado antecipadamente para ser o centro da cosmologia planetária em formação.

AQUELES SERES, DITOS ANGELICAIS, vieram de distâncias incomensuráveis para semear na Terra a sensação de sensatez da proposta de povoar o planeta, fazê-lo crescer, povoar-se, como cresce em quantidade os grãos de areia nos desertos de rochas degradadas pelo tempo, senhor de todos os coveiros em universos milenares. Os filhos dela, Eva, dela Ednah, não passariam de frações de sedimentos granulados arremedos de solos, gerados por espermas com medição de 60 micrômetros (0,006 cm).

A TECNOLOGIA DE REPRODUÇÃO desses seres, assim como eles mesmos, nasceu da conjunção de um óvulo com 0,1 mm e um espermatozoide. Da conjunção dessas criações “high-tech” que povoam planetas, nasceram os filhos dos patriarcas bíblicos e se multiplicaram em geração e gerações de insensatez. Magnânimas e sombrias almas por vilezas mil acometidas. Tendo por horizonte a utopia de uma realização pessoal e social que afugentaria as bestas feras hominídeas das quais são criaturas híbridas.

ELES, ESPERMATOZOIDES, COMO se fossem partes de um exército de guerreiros supostamente disciplinados, se inseriram no corpo dela, Edinah, venceram bloqueios e objeções de prosperar no interior De sua carne fraca. Foram entre trezentos e quinhentos milhões deles, jorrados ou arremessados em direção ao óvulo, alucinados, numa corrida olímpica em disputa da primazia pela vantagem da fecundação.

A COISA GERADA NELA, UM FETO, adaptou-se ao sítio inóspito de sua vagina tapeçada por colônias de lactobacilos que a defendem de germes que a penetram e nela se multiplicam, a secretar ácido em defesa das enzimas e anticorpos. Glóbulos brancos se dispuseram a destruí-lo, tal como destroem vírus, fungos, bactérias e as próprias células dos espermatozoides.

APÓS VENCER BARREIRAS E PÂNTANOS vaginais, o esperma que conseguiu sobreviver às defesas da vagina, chegou até a parte inferior de seu útero e teve de forçar caminho no estreito canal do colo ou cérvix encontrando força no impulso para ultrapassar a tapeçaria de micro cílios que revestem as paredes do colo. Após vencer a resistência dos glóbulos brancos hostis, muitas vezes mais numerosos que os espermatozoides que chegaram até esse campo de batalha hostil, aquele que está mais à frente dos demais faz desmoronar as hastes do muco e impediu, dessa forma, a infiltração dos demais espermas.      

Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 21/04/2022
Alterado em 15/05/2022
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários