Textos

“FAÍSCAS QUÂNTICAS” (ALMAS CRUZADAS)
“FAÍSCAS QUÂNTICAS” (ALMAS CRUZADAS)

EINSTEIN AFIRMAVA QUE a imaginação é mais vital ou importante que o conhecimento. Ele também dizia que duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Garantia que não se deve nunca parar de questionar. Seguindo esta trilha aberta por ele e os geniais físicos dele contemporâneos, vamos imaginar  uma maneira de explicitar o mistério da transmigração.

A TRANSMIGRAÇÃO É UMA doutrina da filosofia indiana, conduzida para o Egito, quando Pitágoras a encaminhou para a Grécia. Em síntese: após um período no reino dos mortos, a alma volta a animar corpos em uma certa competência ou gabarito cultural que estejam mais ou menos num mesmo patamar ou grau de civilização.

DESDE QUE ESTAMOS USANDO nossa imaginação, estamos livres para examinar hipóteses sobre esse mistério: a alma humana. A alma é o espírito desencarnado. O espírito também é a alma que se libertou do corpo. Afirmemos que ambas as palavras significam a mesma ideia: a mesma coisa essencial à nossa reflexão.

VAMOS AFIRMAR QUE, AO SE libertar do corpo funcional ou operante, ela imediatamente se instale na mente de um recém-nascido aqui mesmo no planeta Terra. Então estaria preparada para continuar seu processo de evolução em outra pessoa. Mas, vamos enunciar outra possibilidade: a de que ela, em apenas um nanosegundo se instale num corpo humano ou semelhante, em outro sistema solar, em outra galáxia.

ESTAMOS NO ÂMBITO DA FÍSICA quântica no qual nossa ciência não possui acesso em seu atual estágio de desenvolvimento, apesar das pesquisas com o Grande Colisor de Hádrons, acelerador gigante de partículas na Suíça. A Alma humana não percorreria nenhum mínimo espaço entre ela e a sua próxima encarnação em outra pessoa, neste ou em outro distante e estranho sistema solar a quatro, ou quarenta milhões de anos-luz de distância do corpo ao qual acabou de abandonar.

ELA, ALMA, TERIA DE SE DESLOCAR numa velocidade muitas vezes superior à velocidade da luz que, segundo Einstein é a velocidade limite: 300 mil km por hora ou 299 792 458 metros por segundo. Mas, essa “faísca quântica” (Alma) da qual estamos a teorizar, poderia alcançar imediatamente um corpo, mesmo que esse corpo ou estrutura física estivesse a quatro ou quarenta milhões de anos-luz de distância.

TEMOS DE, EM NOSSO PRESENTE estudo de imaginação, teorizar ou conceituar que todos os seres, ditos humanos e semelhantes, que fazem parte da mesma matéria, com iguais componentes moleculares, químicos, existentes a partir de um conjunto de átomos compostos  por nêutron, elétron, próton, núcleo, níveis e subníveis órbitais em sua constituição (não sendo estes a menor parte da matéria), podem, devido à semelhante natureza estrural, estar em comunicação cruzada com infinitos corpos análogos.

TODOS ESSES INFINITOS CORPOS têm a possibilidade de estarem unidos por uma substância elementar de comunicação eletromagnética ainda não foi identificada pela tecnologia atual deste planeta Terra. A evolução desses espíritos estaria condicionada a essa migração quântica de energia original, que congrega o mesmo arquétipo em todos os cantões, os mais próximos e distantes do universo.

ESSE ARQUÉTIPO, DO QUAL SOMOS parte integrante, possui uma história evolutiva diferenciada que se distancia daquele humanismo dos Evangelhos que nos ensina a fazer aos outros o que precisamos fazer a nós mesmos: a Alma seria, segundo JC, uma Internet sem “fake-news” que, ao amar o próximo como a si mesma, jamais poderia conceber um genocídio, promovido pelo Planalto, que já assassinou no Brasil, mais de 400 mil pessoas.

OS ESPÍRITOS OU ALMAS SÃO OS agentes intermediários que nunca param de se cruzar enquanto agentes físicos de uma dimensão do existir provisória, que as une e/ou desune, conforme interesses que são divergentes aos ensinados nos Evangelhos sobre JC.

UMA SOCIEDADE HUMANITÁRIA, universal, só pode ser conseguida se os exércitos de Espíritos que agem nos corpos e interagem entre eles, mudassem a agenda política e econômica pautada pelo conflito (ganância, avareza, gula, inveja, ira, luxúria, vaidade).

OS SUPREMACISTAS DO CAPITALISMO predatório do meio ambiente, aquele grupo mesquinho de pão-durismo, usura, mesquinharia, que o presidente Biden quer taxar para melhor distribuir a riqueza nos EUA, é um exemplo de como a legião de arquétipos contrários à humanização da sociedade universal age: unicamente em proveito próprio.  
Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 01/05/2021
Alterado em 03/05/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários