Textos

O (STF) MUDOU DE SIGLA. AGORA É (STFI)
O (STF) MUDOU DE SIGLA. AGORA É (STFI)

O PRESIDENTE ATUAL DO Supremo Tribunal Federal Inconstitucional (STFI) Dias Toffoli, mais conhecido pela alcunha de “Totó”, cãozinho imposto ao plenário deste Tribunal por Luiz Inácio Lullalau da Silva, possui um curriculum vitae realmente comprometedor:

EM 1991: ASSESSOR CONSULTOR jurídico na Central Única dos Trabalhadores. 1993/1994: assessor parlamentar na Assembleia Legislativa de São Paulo. 1995/2000: assessor jurídico da liderança do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados. 1998/2002/2006: advogado das três campanhas do presidente Luiz Inácio Lullalau da Silva. 2003/2005: subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil (José Dirceu) da Presidência da República.

APÓS A SAÍDA DE JOSÉ DIRCEU foi exonerado a pedido da ministra Dilma Rousseff. 2007/2009: Advogado Geral da União nomeado por Luiz Inácio Lullalau da Silva. 2001: chefe de gabinete da Secretaria de Implementação das Subprefeituras do Município de São Paulo, gestão Marta Suplicy (PT). 2009: nomeado por Luiz Inácio Lullalau da Silva advogado-geral da União. 23/10/2009: ministro efetivo do Tribunal Superior Eleitoral em vaga aberta a membro do STFI indicação (adivinhe) de Luiz Inácio Lullalau da Silva...

TODOS SABEMOS QUE, ANTERIOR às gestões dos ex-presidentes da República do PT o STF de Chicanowsky Lewandowsky, do “Papai-Noel dos Corruptos”, do ministro “Cara de Paisagem”, do “Decano Gagá” já era considerado pela imprensa não-cooptada ao socialismo da corrupção institucionalizada Supremo Tribunal Federal Inconstitucional (“STFI”).

“STFI” QUER DIZER A SUPREMA Corte de uma justiça cega, de minissaia, com balança de pesar coca na mão esquerda, na mão direita a faca que atentou contra o presidente Bolsonaro. Ela posa fazendo “trottoir” entre os congressistas na “Praça É Nossa” dos Três Poderes, sai bem nas selfies e fotos editadas nos jornais cooptados pela velha política advinda dos ex-presidentes da Nova República Federativa dos Bandidos.

DOS BANDIDOS QUE QUEREM acabar de uma vez por todas com a única Justiça atuante em território nacional: a Justiça da Lava-Jato. Justiça essa contrária à interpretações autocráticas, totalitárias do texto constitucional. Da Constituição Federal não consta o apoio judiciário de nenhum tribunal aos esquemas da corrupção vigentes entre congressistas e a 2ª Turma do STFI.

NÃO ME DIGA QUE A CONSTITUIÇÃO comtempla a soltura de bandidos traficantes de alta periculosidade, lavadores de dinheiro, doleiros, estelionatários, amigos dos amigos de José Dirceu e Lullalau no STFI ??? O que levou o principal ministro de Lullalau no STFI a sustar os processos e procedimentos de investigação com base no Coaf, Receita e Banco Central ???

“TOTÓ” TOFFOLI ESTÁ A LADRAR impropérios contra o procurador Deltan Dallagnol, gerindo do STFI atitudes arbitrárias de um tribunal transformado em organização jurídica de combate à Lava-Jato, operação judiciária legítima de confronto nacional contra organizações criminosas de atuação nacional em esquemas sistêmicos, organizados de corrupção e criminalidade !!!

AMIGO PESSOAL DO EX-MINISTRO de Lullalau, José Dirceu, condenado nos eventos mensalão e petrolão, ele, “Totó”, possui amizades no setor público e privado da corrupção institucional: governadores, prefeitos, deputados, ministros, ex-presidentes da República, executivos, banqueiros, empreiteiros. A jornalista Eliane Cantanhêde escreveu no Estadão (caderno Política, página A5): “se não investiga e não pode dividir seus dados com o MP, para que serve o Coaf ???

É PRECISO EXTIRPAR ESSE CÂNCER jurídico do STFI para que esse tribunal volte à significação anterior à sua inclusão nele. “Totó” não respeita a cidadania dos brasileiros:  o Supremo Tribunal Federal precisa voltar a ser STF. Lugar em que a justiça não andava de minissaia, com balança de pesar coca na mão esquerda e estoque para ferir de morte o político que deseja mudar o Brasil para melhor. Esse câncer jurídico já é metástase !!!
Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 20/07/2019
Alterado em 22/07/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários