Textos

O Cotidiano Da Ópera Dilma Pasadena, Lulla Gullag E Chico Malandro
O Cotidiano Da Ópera Dilma Pasadena, Lulla Gullag E Chico Malandro

Todo dia ela faz tudo sempre igual
Como pode mentir tanto essa mulher
Para o Lulla um sorriso colossal
Para o eleitor corrupção e trélélé

Todo dia ela faz e acontece igual
12 anos de promessa e muito engano
Excelente no discurso passional
E o país só entrando pelos canos

Todo dia ela só pensa em enganar
E o eleitor com essa caca educação
Joga trinta dinheiros para o voto
Comprar em troca da boca de feijão

Nos discursos como era de se esperar
Ela pega e se apega no refrão
Seu coração valente na real
É o PT faturando a corrupção

Já roubou o que tinha de roubar
Pasadena, empreiteiras e mensalão
Mas o Chico acha que deve continuar
Que os 3% dos contratos é nada não

Todo dia ela faz tudo sempre igual
Fala muito em mobilidade urbana e
Educação, crianças e adolescentes
Todo dia, todo dia ela joga no porão

No porão do Palácio de Versalhes
Há esqueletos de todo o povão
Mas o Chico acha que ela é legal
E lhe beija com a boca de sabão

A demagogia faz o eleitor sufocar
O Chico nada vê de corrupção
E abraça seu idealismo de bar
Como se fosse do povo a salvação

Todo dia ela faz tudo sempre igual
E o Chico quer mais corrupção
E defende o assalto à Petrobrás
Como se fosse a maior libertação.

Esse é o cotidiano da Ópera da
Dilma e do Chico Malandro e
Ele a defender para ela e seus
Partidos assaltos por mais 4 anos.
Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 21/10/2014
Alterado em 13/09/2015


Comentários