Textos

Madonna OnLine (O Aprendiz)
Minha mãe me ensinou
Ser fraco e devorável
Quem poderá acusá-la
Ter sido criada assim?

Afinal, ela poderia querer
Mais de mim? Seu filhin
Cachos no cabelo, asas de
Anjin. Minha mãe, zinha

Minha mãe me ensinou
A ser forte e sugestivo
E interagir integrado de
Olho amigo nos arquivos

Era assim vulnerável a
Esses medos ancestrais
Desde cedo educada
Nos passes de mágica

De seus anais: medo
De não casar, medo
De não se dar direito
Ao marido preconceito

Afeito a, de uma vez
Tudo dela acasalar na
Casa do lar, caserna
Patriarcal, renovavam

Os medos no escuro
Da cama ancestral.
Madre ternurinha
Cedo educadinha

Nos afazeres domésticos
Seus desejos de menina
Baluartes dessa sina nas
Ondas do mar encrespado

Ondas revoltas de incestos
Quisera-se rainha do lar.
Doméstica apta a domesticar
Submeteu os meninos. Sim

Subverteu os instintos
Lançou-os infantilizados
Ao mar. O fogo masculino
De Prometeu menino

Perigou para sempre apagar
E nessa tormenta de Sísifo
Ficou a rolar rochas para cima
Para baixo a cruz a carregar

Inútil, sem esperança
Os ombros da criança
Lançada às ondas a lutar
Conseguiria salvar-se?

Anjo torto apavorado ao
Bote salva-vidas de seu
Amor materno agarrado
A opção: Naufragar ou

Aprender a nadar. Longe
Longe, a praia à vista
A segurança da areia poderá
Alcançar? A força a surfar o

Surficiente para vencer os
Tubarões e as correntes que
Puxam sempre para o alto
Mar. Terá de vencer essas

Ondas de tsunami. Será?
Será super-herói tipo os de
Stan Lee ou simplesmente
Outro adolescente perdido

Para sempre na platéia do
Show, ouvindo os discursos
Da Rita Lee? O teu colo
Inexiste Mama a memória

Persiste e o muito do teu
Está a ir de vez, sumir
Sumiu. O náufrago está
Sozinho, deseja lançar a

Coroa de espinhos, longe
Da ilusão do avental todo
Sujo de ovo. Jó e jovem
Chegou à praia e nunca

Nunca mais há de querer
Parar no meio do caminho
Aprendizado de espinhos
Trabalho sem esperança

Inútil Gólgota? Suporte
Do corpo. Através do
Medo no Tempo cultivar  
100sibilidade de rochedo.
Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 01/03/2012
Alterado em 30/05/2012


Comentários