Textos

CARNAVAL: HOSPÍCIO DO LUPANAR OU LUPANAR DO HOSPÍCIO???
CARNAVAL: HOSPÍCIO DO LUPANAR OU LUPANAR DO HOSPÍCIO???

Para onde vai uma sociedade que caminha a passos largos sobre areia movediça tentando não afundar??? Vai conseguir não imergir, se o chão está faltando em direção ao futuro do espelho escuro???

Que futuro pode haver senão o existente nas enganações discursivas dos palanques das lideranças oligarcas comandados por Lullalau segundo a cartilha marxista Fabiana do ABC globalizado???

Inexiste um único político a acenar uma senha que não esteja socialmente hipotecada à assimilação de conhecimento provinciano e rudimentar defasado mas, fantasiado com as plumas e os paetês da tecnologia carnavalesca dos confetes e serpentinas.

Da tecnologia móvel dos telefones celulares explode as ideias formativas de opinião pessoal pelos ares e virtualiza todos os corações e mentes do planeta numa única compreensão coletiva (inconsciente coletivo planetário).

As mentes e mentalidades todas oferecidas ao mesmerismo do conteúdo analógico, cibernético on-line. Conteúdo variegado que visa fornecer ao gado os “saberes” equivalentes à uma escolaridade falimentar, por vezes universitária tipo Bolsa-Família.

A tecnologia cyber (via rede) promove o besteirol informatizado a fazer a cabeça de bilhões de fantoches a partir da telinha de celulares e congêneres sem formação educacional adequada à compreensão do que estão a fazer com suas cabeças ocas.

O anacronismo informatizado do conteúdo dos aplicativos não é nada mais que fugacidade quimérica. O que querem os globalistas do PIB??? Que todo o planeta passe a falar chinês??? Ou uma linguagem híbrida tipo inglês/russo/chinês/português???

Por que os consumidores se conformam em ser engarrafados no trânsito com seus carros do anus??? Todos sujeitos à invasão no sinal vermelho foice e martelo dos sem teto, sem vergonhas, organizados em torcidas de manos com sua violência e balas perdidas.

Que desejam os demagogos das quadrilhas oligarcas com seus gogós de perus de vésperas de Natal a comemorar a passagem de anus novos como se fossem personagens sinistras do Museu “G” de Cera da Madame Globalista do bordel da ONU???

Como podem simular alegria-alegria os foliões da festa pagã de ruas e clubes que cantam e dançam sobre cadáveres, os sepultos e os insepultos, violentados pela bestialidade demente do tráfico a serviço dos barões da Sapucaí???

Que gratificação (pessoal e social) pode haver numa festa que, por detrás das aparências comemora e bebemora 60 mil mortos no trânsito, sessenta mil homicídios por ano, 60 milhões de foliões sambando no banquete dos mendigos a serviço dos gusanos???

Onde está o respeito por seus mortos. Onde, o sagrado direito de compartilhar o pranto por uma sociedade fantasiada da nostalgia de uma alegria que um dia talvez tivesse havido, tão distante no tempo que já fora definitivamente levada pelo vento!!!

Quanta vicissitude se esconde por debaixo das fantásticas fantasias, por debaixo das saias e saiotes foliãs socialites do deboche. Que será de um povo incapaz de distinguir um momento de pesar dos fantasmas da alegria???
Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 09/02/2018
Alterado em 10/02/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários