Textos

POLISSEMIA PRESUMIDA
POLISSEMIA PRESUMIDA

Para qualquer lado que você mire
Há um ardil de neônio esperando
Raízes reluzem como plasma frio
Não sugerem aos pássaros o canto

Conflitos se multiplicam como sons
A criar sombras na realidade vaga
A oscilação nômade da consciência
Busca uma porta de saída no Hades

Sair para onde??? Jovens aparecem
Garimpando larvas. Nos jardins musas
Migram para lugar nenhum num
Horizonte de mimo, lágrimas e medo

As cartas do Tarô pulam dos dedos
Na vária direção aflições buscam o
Chão de um Oásis. Mas a água secou
Na fonte da linguagem. E o rebanho?

A grei ávida muge a desesperança
Onde o significado invisível da sede
ONDE
O fluido vital do espírito se esconde?
Onde a novilíngua da poesia porvir?      
Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 05/02/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários