Textos

UTAMALOIR HATACUNAIÊ (MOMENTUM (Ç))
UTAMALOIR HATACUNAIÊ
(MOMENTUM (Ç))

A mais magnética princesa
Jamais passou ou passará
Por essa Terra, ainda está
Ainda está lá. Eras milênios
Passarão. Nada e ninguém
Dissipará seu MOMENTUM:

Chovia, fazia frio universal
E a mim chegou do não sei
Onde, do oceano mais longe
Princípio principal de todos
Os princípios o único verso
Da poesia que dizia amada
Amada minha nem do norte
Nem do sul vinhas. A frieza
E a monotonia do Yang Tsé
Inexistia em seu tom azul
O abraço acolhia teu medo
A harmonia comigo mesmo
Eu tremia olhando pra ti
Não sabia nada, que fazer?
Ali estavas tu, teus gases
Estelares o raio do céu
Iluminou o inconfundível
Azul. Que coisa formidável
Não havia uma palavra nem
Vocabulário sequer pensado
No inventário da caverna
Escura de Platão. A Grécia
Das eras era apenas buraco
(Na rocha mediterrânea)
Vindo não sei donde a vida
Nem do norte nem do sul?
Das tranças aladas de Shiva?
A matiz inesperada, saída
Da flama? Do temor Apache?
De seu soltapum blue.
Vinhas de que horizontes
Derivados da Via-Láctea?
Nem ela nem eu sabia
Se do norte se do sul
De que mistérios provinha
Seus gases estelares
De seu soltapum blue.
Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 17/12/2017
Alterado em 17/12/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários