Textos

AERÓBICA Para Neurônios “Socializados”
AERÓBICA Para Neurônios “Socializados”

O que é o socialismo no Brasil da Sherazade de George Soros ??? O que é o socialismo nos Tristes Trópicos Tropicalistas Trambiqueiros ??? Todos sabemos do abismo social existente entre as classes sociais. Mas, poucos de nós se dão conta que não sabemos quase nada da influência cultural TVvisiva que condiciona a mentalidade dos brasileiros (entretenimentos ficcionais e informativos formadores de opinião).

Essa cultura do entretenimento nivela toda a sociedade por baixo. Por baixo dos panos dos interesses de dominação da New World Order. Vivemos sob o controle inconsciente dos raios catódicos do inconsciente coletivo TVvisivo. Somos uma sociedade extasiada pela morbidez magnética e carismática das imagens de TV. E não nos damos conta disso.

Estamos sob ameaça de nos tornar o país paradigma do socialismo nas Américas. E não estamos nem aí. O índice de analfabetismo funcional é a quase totalidade da população nacional. O brasileiro é um Povo que não compreende textos de natureza política, econômica, sociológica, e muito menos os provenientes das ciências exatas e/ou os das ciências biológicas e físicas.

Esse analfabetismo, ignorância estrutural e falta de educação formal de qualidade em todas as instâncias de escolas e universidades nos conduz à facilidade de ser enganados por qualquer vigarista que nos promete em seus discursos a “salvação da pátria” via utopias regressivas, tipo o socialismo tropicalista trambiqueiro e Fabiano.

Devido às deficiências todas na educação, o brasileiro só sabe “pensar” em termos de futebol: qual o imbecil das chuteiras que fez mais gol no campeonato ??? — Você sabe a resposta. Qual a escola de samba que vai abrir o desfile na Sapucaí ???  — Quem não sabe a resposta ???  Quantas vezes o time tal mudou de técnico no brasileirão ??? — Na ponta da língua !!! Qual a droga da moda ??? — Essa eu sei.

Nesse tipo de sociedade das cavernas Lulla Sherazade se impôs enquanto ilusionista mestre da sociedade brasileira. O “Analfabeto Triplex do Frei Beto” desde os tempos de sindicalismo do ABC se afeiçoou ao papel de guia de cegos dos socialistas bolivarianos brasileiros nesse Tristes Trópicos Tropicalistas Trambiqueiros.

Se você possui as condições sociais propícias, fica fácil ser o “salvador da pátria” dos analfabetos vidrados no foco do futebol. Se eles têm os gladiadores da bola nas arenas estaduais e municipais, o resto da realidade, pessoal e social, não importa muito não.

A utopia regressiva do socialismo bolivariano fundamentalista, criação e disseminação de George Soros nas Américas e no mundo, encontra sempre um líder tipo Lulla Sherazade para multiplicar diariamente narrativas que as mantêm vivas (as Sherazades) no processo ilusionista de condução dos rebanhos de torcedores em suas galeras do aplauso aos salários e às genitálias suadas dos praticantes de futebol.

Daí, esse ser um Povo intensamente incestuoso. Um Povo que pouco se importa em saber que está prestes a perder seu bem e valor mais fundamental: sua liberdade constitucional. Sua soberania e autodeterminação. Esse Povo mal sabe que está sob a dominação de uma perversidade além de sua compreensão. E da compreensão do “Analfabeto Triplex do Frei Beto” conhecido por muitas alcunhas: a de Lulla Sherazade (do sultão Soros), inclusive.

O Povo brasileiro vive os “meios” de um infortúnio político que ele, Povo, nem desconfia dos “finalmentes”. Os “começos” dessa dominação seguiram-se logo após o término da IIª Grande Guerra com a invasão maciça do país por agentes internacionais do comunismo soviético e a infiltração em todas as instâncias da sociedade brasileira tropicalista pela propaganda do marxismo cultural aliado à propaganda da “sociedade alternativa”. A realidade brasileira virou canção do Raul Seixas. Que Deus o tenha.




Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 24/11/2017
Alterado em 29/11/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários