Textos

WALKING DEAD BRASIL: É Pior Do Que No Filme!!!
WALKING DEAD BRASIL: É Pior Do Que No Filme!!!

No filme os canibais mortos-vivos farejam os movimentos dos supostos vivos e os perseguem e mordem, arrebatando-os e arrancando com selvageria pedaços de seus corpos com agitadas mordidas cheias de apetite antropófago. Após dentadas de selvageria inusitada, transformam suas vítimas em Caetés na busca obstinada por morder e sangrar os novos e abatidos vampiros da grande necrópole.

No Brasil todos parecem estar precocemente abatidos, moralmente mortos, nem reagem. E se dão às mordidas com corações e mentes oferecidos. Por quê??? Porque os vociferantes vampiros estão vestidos de gala, com modelitos elásticos, gravatas borboletas: travestidos com roupas de grifes esportivas última moda. Os mortos-vivos no Brasil sorridente são vaidosos e soberbamente incestuosos.

No filme há vivos e mortos-vivos. No Brasil, os mortos-vivos não vão atrás de suas vítimas. Ao contrário: as vítimas vão atrás de seus executores na esperança de ser mordidas com a oportunidade de também pertencerem ao mundo charmoso do glamour das celebridades do marxismo cultural globalizado. Desejam participar do fascínio sedutor dos compositores e cantores da música popular tropicalista brasileira.

A ansiedade por participar do grande circo global na fogueira das vaidades no pau Brasil no palco. No pau Brasil dos auditórios cheios do aplauso fácil, de pé, entusiasmado. Os braços estendidos e pendulares, marcando o tempo perdido de um para outro lado. Partícipes da mesma novela da realidade que se mantém porque não há espírito crítico, não há simplesmente vitalidade intelectual, erudição, essência crítica, tino, nos mortos-vivos do showbiz nacional no mausoléu dos chicos malandros do século passado.

Essa realidade se mantém a si mesma insuperável, em situação de corrupção irreversível dos sentidos. A comilança canibal é ampla, geral e irrestrita. A superestrutura do poder se nivela aos atores e diretores da edificação de base de uma sociedade pueril, frívola, ingênua, infantilizada pelo entretenimento fútil, imaturo, ameninado com ares da mítica malandragem nacional dos chicos mumificados da música popular brasileira.

Políticos, ministros, juízes, autoridades dos poderes canibalizados pelo marxismo cultural, promovem o canibalismo nas galeras da geral, nos meandros malandros dos poderes onde o roubo e o assalto são a normalidade nacional institucionalizada. E o jornalismo, o 4° Poder, ao invés de fazer crescer a crítica a esses costumes “às nossas coisas, às coisas nossas”, apenas publica e difunde. Não denuncia.

Os prisioneiros domiciliares (as pessoas da sala de jantar) estão algemados à justiça social esquerdopata. A educação nacional é um camburão cheio de professores do marxismo cultural que dissemina e destrói as possibilidades dos corações e mentes não serem, todos, contaminados pela morbidez incestuosa dos programas de governabilidade midiática nacional: “The Voice Brasil”, “Entrevista com Bial”, “A Casagrande do Galvão Global”.

Os programas musicais e os dedicados às comilanças com suas receitas de cocô, pululam nos horários da programação nacional “Walking Dead Brasil”. O Glamour Gourmet de Cláudia Leite, Carlinhos Brown, dos demais e chorosamente emocionados Lulus da MPB, todos chiquitosos da retórica dançarina da denegritude nacional dos mortos-vivos estilo: “Alegria, Alegria” que a fogueira gay das vaidades irradia em aplausos efusivos nos auditórios ao vivo das salas de jantar!!! Qual o futuro para um tempo presente desse???  


Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 09/09/2017
Alterado em 19/09/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários