Textos

Há Mais Que Aviões De Carreira Sobre Sua Cabeça: Mutações “Chemtrails” (I)
Há Mais Que Aviões De Carreira Sobre Sua Cabeça: Mutações “Chemtrails” (I)

Neste mundo de incertezas, tráfico de influências políticas, jurídicas e de outras drogas, a “Espada de Dâmocles” dos poderosos poderes está suspensa sobre sua cabeça. Um dos muitos fios finos e sutis que sustentam a afluência dessa ameaça são as “chemtrails”. As pessoas veem, sentem e padecem seus efeitos sem que os governos informem o porquê dessas pulverizações atmosféricas.  

“Chemical trail” (trilha química) não são “contrails”: estas, são vestígios de fumaça que os aviões voando a 10 mil metros (troposfera) e em altitudes menores, depositam na atmosfera rastos de condensação. O vapor de água produto da combustão se congela nas grandes altitudes onde as temperaturas negativas geram cristais de gelo. O fenômeno produz as formações de “nuvens cirrus”.

Cientistas, pesquisadores e teóricos da conspiração denunciam esses eventos celestes e afirmam a existência de diferenças entre rastos de condensação normais causados por aviões e rastos derivados de agentes químicos e biológicos delineados na atmosfera tendo por objetivo produzir efeitos no clima e na saúde das populações sob influência dessa química de pulverização (do nível do mar até 12 km de altitude).

A Força Aérea dos EUA (Rússia, China, outros) conduz experiências de mudança de tempo (clima) com objetivos geofísicos e militares associados às “chemtrails”. O projeto HAARP — “High Frequence Active Auroral Research Program” — está associado às “chemtrails”. Porta-vozes afirmam não haver provas científicas da existência das “chemtrails” e outros fenômenos atmosféricos associados ao controle populacional e a problemas respiratórios e de saúde.  

Agricultores da Serra da Mantiqueira (São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro) assistidos por cientistas, observadores e especialistas desse fenômeno atmosférico que a 25 anos é observado por eles, dizem que parte dessas pulverizações se condensam na alta atmosfera visando criar uma película reflexiva em torno do planeta contendo alumínio bário, cromo, lítio, arsênico, dentre muitos outros componentes químicos.  

Tempestades violentas, assim como secas intensas decorrem desses bombardeamentos atmosféricos. Resíduos tóxicos produzem enxaqueca, renite, problemas pulmonares ou bronco-respiratórios. O alumínio vai para a corrente sanguínea, afeta o cérebro provoca perturbações glandulares. Há associações físicas tipo câncer, leucemia, sintomas do mal de Alzheimer e demais doenças neurológicas degenerativas do sistema nervoso central.

Complexos de alta tecnologia (HAARP) emitem pulsações de frequência eletromagnética. Frequências de ondas são refletidas pela ionosfera (60 a 1000 km de altitude). As cavidades do corpo humano reagem à ondas de ressonância magnética. Essas reiterações podem influenciar tanto os processos ionosféricos quanto provocar, no corpo humano, reações danosas à saúde e ao equilíbrio psicossomático.

Isto é apenas teoria da conspiração??? Agentes químicos são liberados na troposfera (camada mais baixa da atmosfera) e o lugar onde as precipitações químicas depositam resíduos (com efeitos biológicos por vezes cancerígenos da fumigações) é errático (localização indefinida).  — Desmentidos oficiais e oficiosos dizem que não se confirmam cientificamente a existência das “chemtrails”. E culpam as pessoas (inclusive as vítimas de contaminação as mais diversas) por interpretar de modo errôneo as formações atmosféricas das “contrails”.
Decio Goodnews
Enviado por Decio Goodnews em 20/06/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários